quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Não tem preço

Quem nunca disse a frase: “tem coisas que não tem preço”?
Pode até parecer clichê por minha parte, mas, eu que já achava que existiam coisas que não tinham preço, tive uma confirmação muito ampla disso.

Dia 07 de dezembro, foi o dia em que quis Deus que eu viesse ao mundo. Sendo assim, todos os anos nessa data, sempre foram festivais de “parabéns”, votos de felicidades e os desejos das mais variadas coisas boas existentes nesse mundo.

Tudo nessa vida pode ter uma ótica diferente e a minha a respeito de aniversário é no caminho inverso do que a maioria pensa. Ao invés de achar que foi mais um ano vivido, acho que é um ano a menos pra se viver, mas no fundo acabo sempre comemorando, afinal como muitos dizem, esse é o meu dia.

Foi justamente nesse meu dia que eu descobri que existem coisas que não tem preço e que elas nos fazem um bem sem tamanho e por isso resolvi dividir, expor essas coisas que me fizeram rir, chorar, sentir saudade(boa) aqui no blog.

Ser acordado 1 hora da manhã pelo meu amigo Nélio Souto para me dar os parabéns, não tem preço.

Chegar ao trabalho às 8 da manhã e ver um bilhete da chefe, que nem tinha chegado ainda, dizendo “Parabéns para o estagiário mais lindo e eficiente da interasat” e ainda ser convidado para almoçar, não tem preço também.

No Orkut, gratas surpresas. Palavras que fizeram acreditar mais que eu estou no caminho certo na minha tentativa de ser correto com tudo e com todos. Não da pra listar todos os recados aqui, mas alguns trechos, eu faço questão, como por exemplo:

Maína:
Ao guerreiro Thiago Meira desejo meus parabéns!!!
Que Deus continue te iluminando para que vc possa ser
sempre assim...VC!


Débora Machado:
Parabéns Thiaguinhooo!
Que Deus te ilumine sempre, e que vc consiga alcançar todos os seus objetivos, com muita luta e determinação, coisa que eu sei que vc tem bastante..

ੴ Jéssica ੴ:
Oi Thiago! Nada de frases prontas ou textinhos baratos...desejo de verdade:Felicidade,amor, paz..naum somente nesta data, mas em toda sua jornada. Que Deus derrame sobre você bênçãos, dê sabedoria, discernimento e paciência sempre!!! Continue com seu carisma, charme, jeitinho moleque... mas um verdadeiro lutador.

Carol:
Thiago...
Mais um ano de vida, né?! Tá ficando velho, hein?! rs rs
Vim aqui pra te desejar toda felicidade do mundo. Que você continue sendo essa pessoa maravilhosa que você é e que realize muitos sonhos!
Saudade enorme de você.
Vê se não demora a aparecer por aqui!!!

Patrícia:
Thiiiiiii, meu amigo, e padrinho da minha filha, por quem tenho tanta admiração!
Tudooooo de maaais maravilhoso na sua vida, passou por tantas lutas, e eu sei que ainda tem mais, maaas Deus está te protegendo, te dando tudo aquilo que ELE acha que é melhor pra vc! Parabééns por ser guerreiro, por lutar e conseguir! Que essa nova jornada seja só de alegrias! Feliz aniversário querido de todos nós! Sinta-se abraçado!
Mary, Mariel e Pati
Amamos vc!

Ainda no Orkut, uma homenagem que me fez muito feliz. Eu que fui moderador da Comunidade Oficial do Vasco e ainda frequentador da mesma. No ultimo Dia 07 fui recebido com um tópico de feliz aniversário, coisa corriqueira para os aniversariantes, porém o texto do first post

Sérgio Coelho.•.

Off: Feliz Aniversário Thiago Meira

Perfil do aniversariante:

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=bgn&uid=13732965477232813507

Um grande vascaíno, uma das pessoas mais elegantes no trato com os outros aqui na comunidade, um "dinossauro" daqui, pessoa respeitável e afável com todos!
Continue assim, gente fina, porque você é um dos mitos aqui da comunidade!!
Feliz Aniversário, muita paz e saúde pra ti!!


Não há de que agradecer amigo Thiago. Sua educação, gentileza, tempo de comunidade e boas contribuições aqui o tornam mais do que digno de tais congratulações.
Abraços
SV

No Twitter, também não faltaram homenagens:

@BethRibeiro Dia lindo p meu querido @thiagomeira_ ,aniversariante do dia.Paz,amor,saude,felicidade e sucesso.O chopp te cobro outro dia =)

@BethRibeiro @thiagomeira_ Ah,para!Eu q sou sua fa!Nao sabe a falta q faz seu talento e sua presenca d espirito p #natividade! ;)

@Julsenra@thiagomeira_ Thiagoooooo!! Parabéns!!! Muito muito sucesso e manos funk para ti, morou?! hehe! Brincadeira!

@adm_brunoooo Ai galera, hoje é aniversario do @thiagomeira_ grande vascaino, grande amigo! Saude e paz!

@Karol_Miranda qro desejar toda felicidade do mundo ao @thiagomeira_ desejar mto sucesso e dizer q eu axo ele SENSACIONAAAL!

@_danilovargas acabei d ligar pro meu irmao, meu amigo, meu primo, meu pco, @thiagomeira_ la em BH....parabens cara, felicidades, tdo d bom, vc merece!

Alan, Diego, Clarisse (ficou alegrinha rsrs), Nélio, amigos que preencheram a lacuna que tinha na minha vida quanto à amizade, na cidade de Belo Horizonte. (faltou o xará, mas tem desconto, tava de cama. Débora, que como costumo dizer pra ela, meu pedacinho de família, e todos os que estiveram na comemoraçãozinha no entre folhas, entre amigo, isso não tem preço. (apesar da conta.)

Meu telefone tocou algumas vezes e 99% das vezes, com um DDD diferente. Tiveram chamadas 021, dos meus grandes amigos, Bruno e Hans, chamadas 022, da família mais fantástica desse mundo, do meu caçula, amigo, primo, protegido etc etc etc, Danilo.

Teve até chamada 011, que por sinal deixei para o final. Depois de segurar a emoção diante de todas as palavras lidas, ligações atendidas, presentes recebidos, a senhorita Valéria Regina conseguiu me fazer chorar. Não ao telefone, pois enquanto nos falávamos, ela me fez sorrir, ficar com cara de surpresa, de bocó, mas alem da ligação, teve recadinho no Orkut e e-mail com uma linda homenagem (que deixo exposta ao fim desse post) Com tempero de sensibilidade, carinho, atenção.

A todos que lembraram, que se manifestaram, muito obrigado.

 E-mail de Vava:

Mais um aninho a se comemorar não é mesmo Feioso?!

Quero agradecer ao Papai do Céu por ter por acaso te colocado em meu caminho, e por acaso vc prevalece, mesmo com a nossa distância =)


Hoje é um dia todo especial...
Hoje é o seu aniversário.
Um dia em que você dá mais um passo para novos caminhos e conquistas, um dia marcante em seu coração.
Saiba que você é uma boa parte da minha vida, a parte de alegrias.
Você me ajudou a sorrir e hoje desejo não só um sorriso seu, mas um grito de felicidade.
Desejo que você ainda dê muitos passos e conquiste seus objetivos, pois capacidade para isso não lhe falta.
E que você tenha sempre a felicidade em seu olhar, não só neste dia mas em todos de sua vida.
E é com todo carinho e sinceridade que deixo aqui um pouco do meu carinho, nesta data especial.
Thi Amo!!!


Pra você:



Beijos.


VaVa Barbuleta

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

" Do descompasso à Harmonia"

Com as notas do meu coração compus uma melodia.

Melodia silenciosa, mas com timbre que permite boa distinção entre as frequencias graves, médias e agudas e amplitude indo do forte ao fraco, do fraco ao forte dando ritmo à vida.

Não chega a ser um bolero de Ravel, ou algo ao nível de as Baquianas de Villa Lobos, apenas uma sucessão de acordes, variando bemol e sustenidos, maiores e menores, consonantes e dissonantes, tons e semitons, onde o importante é a harmonia que você preferir.


Liberdade quase que total, só não é permitido trocar som por ruído e também, os versos que não cabem em SI são progressivos não permitindo pensar em RÉ, tão pouco que sejam escritos com DÓ, pois a meta é encontrar uma harmonia perfeita sendo SI uma oitava, ou com suas segundas, terceiras e mais quais forem e no momento ou local que a encontrar, LÁ ficar para ser agraciado com os raios de SOL maior.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

As cartas que eu não mando.

   Assim como o poeta um dia fez, também escrevo algumas mal traçadas linhas por ter a saudade vindo visitar meu coração.
   Escrevo para desafogo próprio, não para que as leia, mas confesso, nos sonhos, bem que espero por uma resposta me chamando de meu bem.
  Já faz tanto tempo que tudo que ficou tão diferente, mas lembra aquele sonho da gente? Não és mais seu, porém, não morreu.
   O tempo vem sendo uma boa companhia, foi o principal responsável por me mostrar que tinha que te deixar e eu deixei. Dentro de mim, mas deixei.
   Desisti de te esquecer, aprendi a conviver com os vestígios que lembram você , me livrei ou talvez me acostumei com a dor. Cansei de lamentar, chorar e mentir só pra não assumir que te adoro.
  Hoje eu estou em paz, tranquilo, feliz, de bem comigo e isso me dá segurança para, ao ser surpreendido pela saudade, não ter receio de lembrar de palavras que havia esquecido como dizer, então: Ainda amo você.

Nem sei bem como terminar, por isso, aqui, apenas assinarei...

Att.

Aquele mesmo cara cheio de defeitos que um dia você aprendeu a amar.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Antes de qualquer coisa, esse post eu gostaria de  pedir desculpas aos amigos, seguidores, enfim, à todos aqueles que visitam e lêem este blog.
Infelizmente além do tempo, a criatividade também anda em falta. Mas de toda forma sempre que conseguir, colocarei algo aqui com a exigência de que o texto seja escrito por mim mesmo.
Alem de pedir desculpa, também agradeço a todos principalmente àqueles que me cobraram e/ou perguntaram quando teria coisa nova por aqui.



Sorria, você está sendo filmado.


Às vezes a vida só apronta, fica cinza e vai muito além de só chuviscar.


Pra isso, vista seu melhor sorriso.
É isso mesmo, apenas descubra em si mesmo um motivo para exibi-lo.

Sorriso, algo simples por essência, até mesmo no significado (Ato de sorrir. Sorrir – rir sem fazer ruído, executando a contração da boca e dos olhos) Encantador por natureza.

O seu sorriso pode enriquecer o dia de alguém sem descontar nada do seu. Pelo Contrário, o seu sorriso pode enriquecer tanto o dia de alguém, quanto o seu. Apenas descubra em si mesmo um motivo para exibi-lo.

Quando tudo parecer andar devagar, quase parando ou até mesmo em marcha ré, não desanime, não coloque ponto final nas esperanças, não se foque no que está dando errado. Olhe pra frente e sorria, pois como já dizia um tal de William Shakespeare, “É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.”

Então descubra em si mesmo um motivo para exibir o seu melhor sorriso e sorria.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Um olhar "estrangeiro"

Domingo, dia 03 de outubro de 2010, dia em que o Brasil “parou” para definir seu futuro. Pela primeira vez, desde que pude começar a exercer o meu direito de voto, eu não estava presente na zona 43, seção 16, cidade de Natividade, RJ para exercer o meu direito, mas não me ausentei por completo de Natividade: sem poder votar por lá, justifiquei meu voto e fiquei atento a tudo que acontecia, acompanhando de longe através da cobertura do Portal Natividade e também da Rádio Natividade FM pela web.


Para começar, não posso deixar de dizer que senti saudade da terrinha e que passou um filme na cabeça, lembrando das eleições em que eu participava das transmissões pela Radio Natividade. Também fico orgulhoso com o trabalho do pessoal do Portal Natividade, cada vez mais multimídia.

Passando a fase das lembranças, das saudades, deixando o sentimento de lado, veio a fase, digamos que técnica, crítica e confesso que não foi muito animadora. A primeira pergunta que veio a mente: O que será do Rádio em Natividade quando o grande Vanderson Garcia decidir parar ou não puder mais exercer sua profissão? Ah, vale lembrar que ser competente como ele, não significa tentar ser uma cópia do mesmo.

Por mais que eu quisesse, as críticas não pararam de me atormentar. O trabalho de cobertura da Rádio Natividade é bom, rápido, pontual, porém, que áudio foi aquele? Que o Vanderson é o único radialista preparado para fazer o trabalho eu entendo, mas então, que colocasse uma equipe dividida em cada local de votação pegando os dados e enviando-os para o mesmo que deveria estar no estúdio, com um áudio limpo e não pelo telefone, com áudio abafado e com “buracos” quando era para passar do estúdio para o telefone e do telefone para o estúdio. Mesmo com os “problemas” na transmissão da Rádio Natividade FM, a informação, que era realmente o mais importante, era ótima. Junto com as notas constantes do Portal Natividade, faziam uma dobradinha redonda.

E aí, começaram a surgir algumas surpresas, pelo menos pra mim, que estava mais por dentro da política mineira do que fluminense. O criticado Garotinho, sempre apontado como ladrão, questionado, foi o deputado mais votado em Natividade e com muita diferença para o segundo. Outra curiosidade que me atentei. Na disputa presidencial estavam Serra, do PSDB, partido do atual prefeito e Dilma, do PT, partido do atual vice-prefeito (isso se nada mudou na mistura de água e azeite). Bom, o Tucano ganhou da petista em Natividade, foi quando pensei que o prefeito estava com o eleitorado em dia. Depois veio, talvez minha maior surpresa e essa foi a votação do Peregrino para governador do estado. Até cheguei a pensar que podia ser mais uma demonstração de força do questionado Garotinho, mas pelo Twitter, “ouvi” outro nome: Luis Carlos Machado, o popular Agudo. Ficou a dúvida no ar.

Depois do resultado definido, pelo menos em Natividade, Vanderson Garcia de volta aos estúdios da radio Natividade, na Rua Dr. Raul Travassos n 1, Centro. (eu estava ouvindo mesmo) e o áudio ótimo, informação melhor ainda, achei outro “problema”, senti falta de interatividade com o ouvinte, principalmente com os que estão longe da terrinha assim como eu. (Tá na hora de começar a pensar nisso).

Entrevista com o prefeito e que, por ostentar esse título, podia ser mais preparado para falar em público, mas acho que isso é só implicância minha mesmo. Porém, a entrevista também não foi lá essas coisas, na verdade, acho que nem posso dizer que foi uma entrevista e sim uma abertura de espaço para ele falar o que queria. Depois dizem que é publicitário que vende a alma, talvez esteja na hora dos senhores jornalistas assumirem algumas posturas, mas deixa isso pra lá. Como eu ia dizendo, foi justamente na hora da entrevista que senti mais falta ainda da interatividade com o ouvinte, pois gostaria muito de saber do prefeito, se ele não achava que a quantidade de votos do candidato Peregrino, não tinha a ver com o apoio do ex- prefeito. Gostaria também de saber outras coisas, mas, ah, eu não sou jornalista e nem moro em Natividade mais, não é mesmo? Talvez eu deva estar querendo saber demais.

Pra não dizer que não critiquei em nada o Portal Natividade, faltou responder aos questionamentos do twiter.

O circo da política em nosso país ainda não acabou, dia 31, justo no dia das bruxas, teremos o resto da definição. Tomara que as Bruxas não estejam soltas...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Não sei, só sei que foi assim

A companhia da solidão nos faz viver o silêncio que é apenas uma parte de todo o barulho da vida e encontrar as emoções que compõem as nossas razões. A certeza de ter dúvidas questiona as respostas convictas que nos enche de indecisão.

Fazer certo as coisas erradas ou errar as coisas certas não faz diferença, a única coisa certa será o erro.
O começo de um fim é quando percebemos a verdadeira falsidade que nos cerca e nos deixa livres para descobrir que a paz de outro sorriso pode desarmar nossas guerras.

A riqueza de um pobre nunca será comparada à pobreza de um rico. A pobreza de um rico sempre será pior do que a do pobre.

Foi tanta coragem, que morro de medo de tudo que eu fiz dar em nada. Tanta indecisão para o futuro é o fruto de tamanha convicção no passado.

Sempre soube que poucas certezas poderiam causar muitas confusões em apenas algumas muitas linhas, mas nunca imaginei que pra falar a verdade às vezes mentiria

domingo, 29 de agosto de 2010

O amado e a mulher que ocupa o primeiro lugar.

Uma estória rodeada por anjos, querubins e cupidos que junto com a mão de Deus abençoaram e deram de presente para o mundo, dois pequeninos com o poder de multiplicar o amor, arrancar sorrisos e lágrimas de felicidade e encher um número incontável de pessoas de alegrias.

Esses são “o amado”. Davi, com nome de rei, e a (pequena) “mulher que ocupa o primeiro lugar”. Mary, variação em inglês de Maria. Nome da mulher que carregou o Filho de Deus em seu ventre.

O nome dessas jóias já os credenciam status, porém, o orgulho que ambos proporcionam tem muito mais do que a credencial de um nome.

Felicidade, alegria, orgulho, união. Foi pra isso que vieram, é isso que já causam, mesmo tão pequenos, mesmo sem saberem.

Dois destinos escritos pela mão de Deus.

Duas bênçãos concedidas por Deus.

Duas Jóias guardadas pelo poder de Deus.

Bem vindos ao mundo, meu amado rei DAVI e minha pequenina mulher que já ocupa o primeiro lugar no coração de muitos, MARY


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

além dos esteriótipos

Nem todo carioca é malandro

Nem toda mulata é sambista

Nem todo Romário é marrento

Nem todo menino é da Vila



Nem todo craque é Pelé

Nem todo camisa 10 é Zico

Nem todo cristão é cheio de fé

Nem todo garoto da zona sul é rico



Nem tudo é como se vê

Nem tudo é como se pensa

Tudo pode ter outra superfície

E descobri-la pode valer a pena


quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Nem tudo que vem, vai.

O verão passou, o outono se foi, o inverno terminou e a primavera fez tudo se encher de cor. Assim a vida seguiu e algumas vezes esse ciclo se repetiu. Durante esse tempo, nem da pra contar quantas vezes o céu mudou de cor ou nós mudamos de humor, quantas vezes o destino mudou nossos caminhos e quantas vezes falamos ou pensamos no amor.

De rédeas bambas com as palavras, hoje eu abri a janela e fiquei namorando a lua, a dona da beleza de certo lugar e pensando nos diferentes amores da vida, logo, me peguei lembrando de um amor de praia, daqueles que dizem não subir serra, que quando o verão acaba, pronto, já era.

Lembrei dos olhos verdes da menina e ao fechar os meus, pude ver a lua, não, não. Eu vi Kahlua. Fui completamente tomado pelo Espírito Santo e em pensamento, ainda que rapidamente, fiz uma viagem, passando por vários lugares, de Linhares à Irirí, de Itaúnas à Guarapari e na imagem, ainda via Kahlua e lembrava principalmente das raízes que um dia deixei em Marataízes.

De tanto pensar naquela que deve ser admirada, perdi-me em meus próprios pensamentos tentando entender por que estaria o nome da cidade no plural quando o correto deveria ser “MaraTaís”, “Mar_à_Taís” ou “Mara Taís”

Amor de praia parece ter mesmo uma forte ligação com o movimento de ir e vir das ondas, com a diferença de que com esses, não precisamos nos preocupar com ressaca.

E quer saber, por mais que o amor não suba serra, o verão sempre volta no ano que vem, então, que mal teria, se à vezes um pensar no outro, o outro pensar no um também?

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Viver sem perder a capacidade de sonhar

Essa noite eu sonhei com você.

Calma, não se assuste. Eu também sonhei com ela.

Sonhei com você, com ela, comigo, com um quarto de dormir e curiosamente, nesse quarto de dormir também havia uma janela lateral.

De lá, nós víamos um sinal de glória, mas não era de uma igreja, e sim de uma bela paisagem, onde não haviam muros brancos, porém uma infinidade de cores em árvores, céu, nuvens e flores. Voos de pássaros? Sim, lá estavam eles, voando, mostrando toda a liberdade para aqueles que da janela lateral do quarto de dormir admiravam as cores vibrantes, os raios de sol e muito provavelmente se sentiam felizes com a agradável companhia.

Enquanto dormia, o sonho se resumiu a isso, mas acordado, foi muito além. Transformei o sonho em um sonho, dei asas à imaginação e ela foi voar mais alto do que os pássaros da paisagem.

Como não sabia exatamente onde ficava a casa do tal quarto que tinha uma janela lateral, imaginei então uma casa grande, porém, inocente em um ranchinho a beira chão. Bem ao estilo casa no campo, rede na varanda, fogo baixo aceso fogão de lenha. Ao fundo, um pomar onde as aves cantavam, um cercado para apartar os bezerros, as vaquinhas leiteiras e um burrão. Um coberto para guardar um pilão.

Já que a casa era grande, nós estávamos acordados, com a janela lateral do quarto de dormir aberta, um fogão de lenha aceso e o sonho era meu, resolvi convidar mais gente. Família e amigos a vontade, por que sonho de vida que se preze tem que ter todo mundo reunido. A mulherada com mais experiência de vida (não quero usar a palavra “velha”) as voltas com a comidaria, tudo em fartura e o restante curtindo o som da viola e da sanfona que até eu mesmo tocava. Lá, a viola tocava alto nos peitos humanos e era um bom remédio para qualquer desengano e mesmo quando a viola parava, continuávamos escutando a melodia da passarada que não parava de cantar, o gado berrando, uma sinfonia de pardais e em um tom mais destacado, o sabiá cantava, no alto de um jequitibá.

Podíamos ser todos da cidade, mas lá estávamos sorrindo, brincando, comendo, vivendo sem ter algo exclusivo para ninguém, no campo, no meio do mato, só pensando em estarmos bem. Só pensando na paz que era visível por todos os cantos, seguindo por toda extensão de um regato que cortava a campina até o deságüe em uma lagoa com água cristalina. A paz só era interrompida pela nossa festança que tinha dança, farta comida e as melhores companhias.

Tem mais gente de passagem? Abra a porteira, se achegue e conforme for, fique pra pernoitar. Aqui a gente é boa e hospitaleira. Tem comida a vontade e moda boa pra tocar. Moda ligeira aqui é uma doideira, assanha o povo e faz todo mundo dançar, mas também tem moda lenta, que faz sonhar.

Eu fui falar em sonho, que pena. Isso me fez lembrar que tudo não passou de um sonho. Mas eta trem bão que tava por lá. Nem vontade deu de pra vida real voltar. Mas aqui o relógio anda ligeiro e eu ainda tenho um dia inteiro para enfrentar. Mas fica a expectativa da chegada da noite com mais sonhos tranquilos e do dia em que esse sonho irá se realizar.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Como? quando? Quem? por que? onde?

Se afinal de contas, são as perguntas que movimentam o mundo...
Por que a gente vive em busca de respostas?
A gente vive em busca de respostas por quê?
De que serviriam as respostas, se não houvessem as perguntas?
Eu já vi um tanto de perguntas sem respostas, mas, e respostas sem perguntas, você já viu?

As perguntas podem nos causar diferentes sensações...



Existem as que nos deixam, momentaneamente sem respostas:

[Pai da Namorada] E então rapaz, quais são as suas reais intenções?
[namorado para a namorada] Quer casar comigo?
[namorada para o namorado] o quê você está olhando pra lá heim?


Existem as que nos dão vontade de responder...

[subterrâneo do prédio onde você mora. O elevador se abre e a pessoa te pergunta]

“Vai subir?”
“não, meu apartamento vai descer.”

Mas é melhor deixar pra lá.


Existem as que são muito bem pensadas:

“tostines vende mais por que é fresquinho ou é fresquinho por que vende mais?”
“quer pagar quanto?”
“deu duro?...”
"Você já tomou seu ACTIVIA de hoje?
“por que a lata da Brahma é branca?



Existem as que viram melodia:

“pra que mentir fingir que perdoou?”
“por que não eu, ahh ahh, por que não eu?
“de que me adianta viver na cidade se a felicidade não me acompanha?
“por que choras assim?”


Existem as imbecis, mas que acabam intrigando:


“se o pato perde a pata, ele fica viúvo ou manco?”
“por que os kamikazes usavam capacete?”
“por que aquele filme com o Kevin Costner se chama ‘dança com lobos’ se só aparece um único lobo em todo o filme?”
“como se escreve zero em algarismo romano?”
“como que a placa “é proibido pisar na grama” foi colocada La no meio da grama?
“pra que serve o bolso de um pijama?”
“por que o pato donalds sai do banho enrolado em uma toalha sendo que ele não usa short no desenho?”

“Se os homens são todos iguais, por que as mulheres escolhem tanto?

“por que eu fiz tantos ‘por quês’ nesse texto?”

“por que eu acho que alguém perderia tempo lendo o que eu escrevi?”

“por que você leu o que eu escrevi?”

"será que alguém vai me responder?"

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Então, vamos comemorar.

Parece que ainda ontem, juntávamos para comemorar. “comemorar o quê?” Pergunta desnecessária. O importante era comemorar.

– Vamos fazer um churrasco...
– Eu levo carne, lá em casa tem...
– Ah, eu levo o carvão...
– já que como sempre, ele vai levar o carvão, posso levar dois refrigerantes...
– Ta, beleza, mas poh, no mínimo, Coroa heim.


Parece que ainda ontem juntávamos para comemorar. “comemorar o quê?” O importante era comemorar.

– Vamos marcar uma pelada
– Boa. Aí a gente faz um churrasquinho. Poh tem uma costela lá em casa, posso levar...
– Ah, eu levo o carvão...
– vamos fazer 20 litros de gammy


Parece que ainda ontem juntávamos para comemorar. “comemorar o quê?” o importante é comemorar.

– Aí galera, final de semana é o aniversário do meu filho, quero todo mundo lá heim
– Opa, eu to lá
– Amanha já vou comprar o presente
– Ah, eu levo o carvão



Parece que ainda ontem juntávamos para comemorar. “comemorar o quê?” o importante é comemorar.

– Aí, aluguei uma casinha, é humilde, mas vamos fazer algo lá pra estrear
– Eu vou levar uma vodka pra fazer uma caipiríssima
– Ah, eu levo o carvão...
– Poh, nem vai ser churrasco



Parece que ainda ontem juntávamos para comemorar. “comemorar o quê?” o importante é comemorar.

– Final de semana eu vou fazer uma festinha pra marcar meu noivado
– Eu dou uma caixa de cerveja
– Eu dou mais uma caixa de cerveja
– To pegando estrada e chegando aí
– Ah, eu acho que não vou poder ir, mas se eu fosse eu daria o carvão.


Pelo visto, sempre vai parecer que ainda ontem juntávamos para comemorar... “comemorar o quê?” nem importa, afinal de contas... O IMPORTANTE É COMEMORAR


sábado, 10 de julho de 2010

A mais dura verdade


Pessoas, quanto mais eu as conheço, mais sinto saudade dos cavalos.
Hoje eu queria falar sobre a força, sobre docilidade e sobre a lealdade de um cavalo. Um animal, irracional, que tem que passar pela doma, mas que poderia muito bem ensinar muitas coisas aos homens e também às mulheres. Mas, mais uma vez, falo sobre a fraqueza, sobre a amargura e sobre o egocentrismo das pessoas.

Não sei quem e nem por quê, mas alguém disse que o homem (e as mulheres) é o centro do mundo. Pior do que terem dito, foi o próprio homem (e as mulheres) ter acreditado nisso. Hoje, a coisa vai além, as pessoas não olham tão somente a humanidade como o centro do mundo, cada indivíduo se acha o centro do universo.

Queria eu, que isso fosse apenas um problema das grandes cidades, dos grandes centros, se fosse assim, seria fácil, era só pegar minhas trouxas e me mandar pro interior novamente.



Não pense que viu certas histórias só em filmes, elas acontecem a todo instante, aqui, ali, lá. Não pense que não está, por que você está, mesmo sem perceber e não, não é um filme e nem uma novela mexicana, muito menos de Manuel Carlos. É real, acontece, como já disse, aqui, ali, acolá. Porém, também, não pense que tudo é dito pra você. Não se coloque no centro do mundo. As coisas que acontecem contigo, acontecem exatamente igual com várias outras pessoas.

A imperfeição das pessoas começa justamente pelo egocentrismo, até mesmo quando são citados erros, as pessoas se colocam no centro, como se tudo fosse dito para elas e quantas pessoas não vestem a mesma carapuça? O mundo ta cheio de "histórias de cartomante", sempre tem alguém que se enxerga. E em alguns casos, da até "briga" pra se enxergarem.

Se as pessoas são realmente imperfeitas? Não sou eu quem posso afirmar, mas entre lidar com um cavalo ou com uma pessoa, eu escolho o cavalo. Se ele quiser me derrubar, irá fazer isso na "minha frente", diferente das pessoas.

Por isso, digo e repito.

Pessoas (estou me incluindo nelas), quanto mais eu as conheço, mais sinto saudade dos cavalos.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

A comédia da vida Real

Era uma vez, uma história que serviria para escrever um livro, mas que acabou se transformando em “apenas” um post no blog. E essa história começa justamente com “era uma vez”...


Era uma vez, em uma cidadezinha universitária interiorana, um grupo de amigos ou colegas, como preferir. Um grupo como outro qualquer, formado por jovens, pessoas reais e imperfeitas, que se adoravam em presença, mas que não deixavam de ressaltar os defeitos dos outros integrantes quando esses estavam ausentes. Esse grupo era formado por estudantes de engenharia e apenas um de arquitetura, mas que lá no fundo, iria acabar um dia sendo engenheiro também. Paralelamente, existia uma menina, que terá seu papel na história.

No meio da galera, Toth sempre foi um dos mais “sabidos”, com uma bagagem de vida maior. Sereno, sabia lidar com os próprios problemas e com os defeitos dos outros de forma sensata e talvez por isso, depois de um período não tão curto de tempo, acabou se acertando com Pâmela, uma das pessoas mais doces que se pode existir, conselheira de tudo e de todos, porém um pouco inocente demais para o mundo.

Um outro casal existia. Pois é, existia, de não existe mais. Leonardo era gente boa, um pouco marrento, mas gente boa. Ele namorava Viviam e hoje namora Júlia, aquela menina que vivia paralelamente ao grupo. Ironias do destino, ela nunca foi bem aceita pelo grupo, de repente se tornou parte de um grupo, dentro do grupo já existente.

Viviam, bela e solteira, passou a atrair olhares e interesses. O estudante de arquitetura foi um deles, apenas um dos muitos. Marcelo, que parecia que começaria a namorar a outra Viviam que também fazia parte do grupo, desistiu misteriosamente. Suspeitas rondam, mas ninguém quer falar sobre isso.

Pessoas sempre são imperfeitas, algumas atitudes podem ser dignas de aplausos e de desconjuro ao mesmo tempo. Como por exemplo, no caso de Flávio, que escondia de seu “melhor amigo”, Carlos, um segredo, por vergonha ou por medo de perder a amizade. Falsidade, ou amizade verdadeira? Depende da óptica de quem vê. Na roda, quando Flávio não se fazia presente, o comentário era de que isso é falsidade, mas também ninguém nunca ousou a contar para Carlos esse tal segredo de Flávio.


Em uma roda de amigos, em que, fulano agradava de Beltrano, que agradava de Sicrano, que era cobiçado por terceiros...

Em uma roda de amigos, em que, fulana, falava mal de beltrana, para sicrana, que escutava beltrana falando mal de fulana e sicrana via beltrana e fulana as mil maravilhas na frente uma da outra.


Não sei bem, mas acho que já vi essa história com outros personagens em algum outro lugar.




quarta-feira, 23 de junho de 2010

"aonde eu entrego? "

Ali estavam os dois, enquanto o silêncio imperava, pela cabeça dele, pensamentos que iam de “amor a zona” e imaginações sobre “essas tais simplicidades” e bem quando por sua cabeça passavam questionamentos sobre quais seriam “as cores dela” ela quebrou o silêncio:


[ela] - As vezes sinto falta de mim...

[ele] - Eu também.

[ela] - Também sente falta de si?

[ele] - Não. De ti.

Foi quando a silêncio novamente voltou e mais uma vez foi quebrado por ela:

[ela] - O quê você gostaria de ter?

[ele] - Um abraço, por agora, me bastava. E você?

[ela] - Não sei, mas, talvez, tempo.

[ele] - Você tem. Todo o tempo do mundo

[ela] - Eu quero voar.

[ele] - Se quiser eu tento contigo

[ela] - Seria necessário muito vento.

[ele] - Vento? Eu invento.



Nesse momento, ela se virou, saiu andando e disse:



[ELA] - EU QUERIA A LUA.



E de repente, escutou quando ele chamou pelo seu nome, parou e olhou para trás....

segunda-feira, 21 de junho de 2010

E lá vamos nós.

Tem dias que a Saudade bate, bate e bate com força, na cara, de mão aberta e assim, a vida, que judia mesmo quando ensina, aproveita o momento para tripudiar de nós e não nos deixar esquecer
que ela é dura, fria e as vezes covarde. Aí é a hora de ter força e saber que mesmo contrariados, não estamos derrotados. Aí é a hora de se levantar, bater a poeira da roupa e ter consciência de que tem dias em que se beija o chão, mas também tem os dias de beijar boca.



terça-feira, 15 de junho de 2010

"Mundo moderno, marco malévolo."

Ai que saudade da minha infância...

Ai que saudade do tempo em que a molecada se divertia soltando Pipa e jogando Baleba e as meninas brincavam de boneca.

Do tempo em que funk era Claudinho e bochecha, Márcio e Goró e MC Marcinho e que as letras diziam “gatinha, quero te encontrar”, “me encantando no sonho de um adolescente que não conseguiu amar” e “amor, por que você me trata assim, apenas quero te fazer feliz”.

Saudade do tempo em que fotos não eram tiradas pra colocar no Orkut e sim para lembranças, aliás, do tempo em que se quer existia Orkut e jogar super Mário e super star soccer no Super Nintendo era o máximo.

Em que se mandava cartinhas para dizer “eu te amo” e não scraps, depoimentos ou textos em Blog. 

Do tempo que as crianças tinham tamagotsh e não aparelho celular e que maquiagem era coisa de gente grande.

Músicas tinham coreografias e dançar na boquinha da garrafa era até inocente.

Do tempo em que não existia rebeldes e sim chiquititas e TV colosso era muito divertido

Saudade até mesmo de quando merthiolate ardia

Saudade do tempo em que a vida era menos louca.

Queria saber quem acelerou o mundo assim...

Hoje, pra conversar em particular com a pessoa que mora comigo e está sentada a menos de um metro de mim, mando uma mensagem por MSN.

Se esquecemos o celular em casa, coisa que a pouco tempo atrás nem tínhamos, é um Deus nos acuda.

Levantamos de manha e antes de tomar café o computador está ligado.

Conhecemos o significado de VC, MSM, BJ, DPS, XAU, NAUN e tantas outras mais.

As vezes o telefone toca em casa e ao atendermos falamos a nome da firma e quantas vezes pra ligar do nosso próprio lar apertamos 0 ...

Se nosso computador para de funcionar, parece que quem parou foi nosso organismo.


Pra quem está nessa, Bem vindos ao mundo moderno.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Em clima de Copa?

Futebol é coisa séria! Eu me lembro já ter dito isso aqui, também me lembro de ter dito que não tocaria nesse assunto, mas poh, Copa do mundo é copa do mundo né. Época em que o patriotismo toma conta de cada cidadão, que todo mundo torce em conjunto, até os bancos fecham em horário comercial, então vale um post.


A copa do Mundo está ai, batendo à porta, e na teoria, o país era pra estar eufórico, eu então, maníaco por futebol como sou, nas edições anteriores já estaria com camisa, peruca verde e amarela, cornetas, ops, esse ano é “vuvulzela”, de pronta mão, mas confesso que essa euforia ainda não tomou conta de mim. Não sei se o problema é só comigo, mas também não tenho visto muito disso por aí. Ruas pintadas, bandeirinhas penduradas, fitas verde e amarela, carros dizendo “rumo ao hexa”. Tenho até visto pessoas dizendo “sou Espanha”. “Vou torcer pra Argentina”.

O motivo, eu não sei, mas acredito que seja a falta de carisma dessa Seleção do Dunga. Confesso que não tenho muito apego à ela. Claro que quando a bola rolar, lá estarei eu, gritando, xingando, vibrando e sofrendo como a grande maioria dos brasileiros. Mas aí entra uma coisa, a Seleção Brasileira sempre foi um “bem” do povo. Mesmo quando o futebol não era tão artístico como, por exemplo, em 94, tínhamos Ricardo Rocha, Bebeto, Romário, tão gênios com a bola nos pés quanto carismáticos. Já tivemos Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Taffarel. Hoje vemos Felipe Melo, um brucutu de chuteiras que se acha craque e ainda teve a cara de pau de se sentir ofendido quando um Jornalista, que por sinal é ótimo (Paulo Vinicius Coelho-ESPN Brasil), perguntou a ele se poderíamos esperar do Felipe Melo mais produtividade do que ele vem mostrando na Juventus. Hoje temos uma penca de jogadores que não tem história alguma em algum time de seu próprio país. Gilberto, não é tão bem visto nem mesmo pelos cruzeirenses. Michel Bastos, com todo o respeito ao Figueirense, se for ídolo é do time catarinense. Já até ouvi dizer que ele é muito bom no Playstation, mas eu sou da época do dynavision, e também da época que quem era bom era o Alejo, no super Nintendo, então pra mim isso não faz muita diferença. Josué, Elano, Doni, puts, tenho tanto apreço por eles quanto a um zagueiro da Costa do Marfim. Esses dias vi a seleção jogar contra a Tanzânia, e como disse Bruno Mazzeo, “ eu não conhecia esse país. Tem no War?”. Por falar em Bruno Mazzeo, lendo o que ele disse sobre a seleção, sou obrigado a concordar com o mesmo. “falta ao escrete canarinho carisma”

Pausa no sofrimento que atualmente é (pelo menos pra mim) o brasileirão, entre em campo a copa do mundo e mesmo sem carisma, ainda aposto que a “coerência” do Dunga (isso pra não dizer outra coisa) calará críticos como eu, e será capaz de me trazer a euforia de uma copa do mundo de volta. Se a seleção fracassar ou mais uma vez for campeã, pelo menos não terei de ouvir ninguém me sacaneando.



Boa Copa pra todos nós.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

A benção...

Eu quero pedir a bênção, mas não “a bênção, João de Deus”. Quero a Bênção para João, que também é de Deus. Quero a bênção e que ele, mesmo nas incertezas de um caminho tão difícil, tenha certeza de que pode contar com os amigos. Amigos que eu, muito honrosamente, com ele compartilho. Amigos desde quando? Só Deus sabe. Amigos até quando? Essa eu sei. Pra sempre. Já ouvi dizer que “amigo” é uma palavra fácil de pronunciar, porém difícil de ter. Desculpem-nos, somos a exceção que faz a regra. Nós nunca tivemos um amigo, sempre tivemos, ou melhor, sempre fomos um grupo inteiro de amigos abertos a receber mais e mais amigos. Os caminhos mudaram, os objetivos e os prazeres também, mas, mesmo longe, continuamos juntos e mesmo nos desencontros e desentendimentos, a amizade nos faz nos encontrarmos e nos entendermos. Se um dia tudo se acabar, a amizade nos dará força suficiente para começarmos tudo novamente, de um jeito singular e único para que cada momento que vivermos juntos, seja guardado para sempre, por que isso é bênção. Então que a bênção não venha tão somente para João, que é de Deus, que venha para Joãos, Thiagos, Jefersons, Rafaels, Natanaels, Romeros, Estéfanos, Marlens, Mariels, Robertos, Geraldos, Millers e agregados, que também são de Deus. Amigos, filhos, pais, a versão mais profunda de pessoas que se querem verdadeiramente bem, que se estimam, se respeitam e que sustentam uma amizade baseada na cumplicidade dos momentos feitos para dividir as tristezas e multiplicar as alegrias.


Quando deixarmos de existir, a amizade continuará, assim, caso venhamos a nascer de novo, por ela, saberemos nos encontrar.





E Agora, para finalizar esse post, com a licença dos musicalmente diferentes e uma citação ao novo amigo, Nélio Souto e à musica que sua avó cantava quando ele era criança. “eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar”

segunda-feira, 31 de maio de 2010

O contraste em pessoa.


Ali está ela, sentada, quieta, calada, concentrada. Autismo? Anti-social? Talvez, mas prefiro algo do tipo... Timidez ou até mesmo falta de noção exata da intensidade de seu brilho. Brilho esse, que às vezes se ofusca por infinda discrição, que por sua vez, não é páreo para a força desse brilho e assim, esses dois contrastes travam uma intensa disputa por espaço fazendo com que as atenções se voltem sempre em sua direção.  E o que chama mais atenção? Pergunta histórica, “Tostines vende mais por que é fresquinho ou é fresquinho por que vende mais?” No caso em questão. Ela chama atenção por saber ser tão discreta ou é discreta por saber que chama tanta atenção? Mística contrastante. Leva a liberdade exposta à pele e vive presa a um mudo reduzido.   
Ela trabalha, tenta ser independente, nem sempre ta disposta e não finge estar sempre contente. É estilosa, tem jeito irreverente, fecha a cara, mas encanta quando passa sorridente.  Maga magia, do tipo que tira pra dançar sem sair do lugar, sem colocar os pés no chão, sem musica pra acompanhar. Lua que luzia a noite, que  acaba por virar dia.  Água que seca em meio à chuva de bruxaria. Bela imagem, forte visão, obra de arte em companhia da solidão.  Contrastes, opostos que se misturam , levando tristeza à rua da alegria e desordem à rua da harmonia. Ela é quase isso, um pequeno ponto na imensidão, um forte brilho na escuridão.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Um slogan de vida

O mundo é dos nets, mas em 20 minutos tudo pode mudar e é por isso que eu vivo a vida com uma energia que dá gosto para conseguir superar cada desafio que surge, afinal de contas, o desafio é a nossa energia. A vida pode não ser uma Brastemp, o dia a dia nem sempre é gostoso como eu gosto, às vezes é necessário despertar o tigre que existe em você e ter mil e uma utilidades, mas, por mais dura e difícil que seja, eu amo muito tudo isso.

Qual é a boa? Eu ainda não sei, porém resolvi viver sem fronteiras, e você? Ah, vem ser feliz. Tem coisas que não tem preço então se divirta, sorria, alegre-se, deite e role por que se sujar faz bem, abuse e use do que foi feito pra você, daquelas pessoas que tem dedicação total a você, que você conhece, você confia. Acrescente S no final das palavras, amigo, sorriso, alegria, por que nesses casos a vida com S é mais gostosa.

Às vezes, a felicidade, a satisfação está em coisas tão bobas que nem reparamos, pode ser em um papo de mulher pra mulher, em ser mais um apaixonado por carro como todo brasileiro ou em coisas como um “oi”, simples assim, mas que dependendo da hora refresca até pensamento.

O fato é que o mundo da voltas e que as voltas do mundo nem sempre são redondas, só nos cabe nos preparar e definir como encará-las. Eu encaro levando a vida sorrindo e pensando que redondo mesmo é rir da vida e isso nem é questão de estilo, que ou você tem ou você não tem, ta mais pra criatividade mesmo, existem mil maneiras de preparar, invente uma. Just do it... impossible is nothing .

Bom, então é isso... a gente se vê por aqui.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O maior dos segredos.

Fui informado por mim mesmo, meio que sem jeito, no meio de uma madrugada, que dentro do peito havia um segredo.

Bem quando tinha em meus braços um amor diferente, me veio à mente as palavras doces que um dia falei pra alguém, pra aquela que tanto me amou e que me beijou como ninguém, aquela mesmo, que levou o meu sorriso junto com o dela e que sem falar no que é de direito, arrancou-se o que havia no meu peito.

Deixando gravado em minha mente, no meu espaço e em alta resolução, alguns de seus retratos.

Aquela que matou o meu amor e de herança, não sei se por vingança, só lembranças deixou. Lembranças de que um dia confidenciamos nossos segredos, de que por ela, mudei os meus planos.

Planos? Pobres enganos, e é com esse conceito que hoje conto pra essa mesma parte de mim um outro o segredo. Que o amor o qual tanto fui atento, hoje já não goza de meu encanto e que não é por conta dele que espalharei meu canto. Que mesmo mergulhado na incerteza do destino, sem saber qual a escrita do roteiro divino, digo que a única coisa que me cabe é falar com orgulho do amor QUE TIVE, sim, aquele mesmo que me será apenas uma eterna lembrança.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Ao pé da letra? . Ah, o pé da letra.

O mundo e seus conceitos. Analisar alguns conceitos que encontramos pelo mundo pode ser cômico, mas, também pode ser muito trágico. Depende da conotação.

Começo meu “mosaico de citações” falando sobre os “filhos da puta”. Antes, eram os que nasciam do ventre de uma profissional do sexo. Hoje, já não tem nada a ver com a mãe do cidadão. O sujeito passou a ser filho da puta por si só, já encontramos até filhos da puta sem mãe por ai. E os que são “bons pra caralho”? Ah... Não estamos falando de remédio para impotência, é só mesmo a conotação.

“Filho da puta” era pra ser xingamento, hoje em dia já é até elogio. “Bom pra caralho” era pra ser algo feio, hoje é descolado. Eu disse que podia ser cômico... e trágico

Trágico é quando falamos de coisas mais sérias. Exemplo: Honestidade, algo que deveria ser normal, todo mundo prega a honestidade e fala que se todos fossem honestos o mundo seria muito melhor, mas quando acontece algo em que um cidadão usa realmente da honestidade, vira até noticia de jornal... “EXTRA... EXTRA, faxineiro de banheiro de aeroporto encontra 15 mil dólares enquanto trabalhava e entrega à Polícia”... Pior do que virar notícia é saber que a grande maioria ainda comenta “babaca, podia dar um jeito na vida dela, eu não dou uma sorte dessas”.

Sinceridade, quem não acha lindo a tal da sinceridade? Agora, experimente, quando sua esposa disser “AMOR, eu engordei tanto”. Dizer, “é mesmo amor, ta na hora de fazer um regime, minha baleiazinha”, ou então numa balada, falar pra sua namorada, ”amor eu vou ali ao banheiro, mas é só pra olhar de perto aquela ruiva que está ali sozinha”. A sinceridade deixa de ser bonita. A pessoa sincera vira uma grosseira. Aí, mentir passa a ser bacana... Aliás, e aí, ta gostando do Blog? Seja sincero... Ou não.

Ser comunicativo é bom, interage com pessoas facilmente, se ambienta em qualquer lugar... CUIDADO... Se for mulher, você pode ser chamada de “dada”. Ser for homem, de enjoado.

Fulano está apaixonado... ah que lindo!... A namorada do fulano terminou com ele e ele ta triste. ... ah que trouxa!.

Nesse nosso mundinho “filho da puta”, são tantos os conceitos e conotações que eu me perco e nunca sei quando é pra entender “ao pé da letra” ou pra usar “o pé da letra”.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

83 anos de orgulho para uma nação

Falar sobre futebol é algo complicado, envolve paixão. Pessoas sofrem, riem, choram, cantam, perdem a voz, brigam com esposas, desfazem amizades, tudo por causa dele e é por essas e outras, que FUTEBOL é coisa séria. Há um dito popular que diz que “política, religião e futebol não se discute” e por concordar com isso, não tinha ideia de falar sobre “o dito cujo” no blog, mas, hoje é um dia especial, diferente, atípico e por isso vou abrir uma exceção.




Dia 21/04 á a data de aniversário de um marco no esporte nacional e mundial. No dia 20 de Abril de 1927, os principais jornais do país noticiavam: “INAUGURA-SE AMANHÃ O MAJESTOSO 'STADIUM' DO VASCO DA GAMA” (o Globo, edição vespertina); "UMA DATA GRANDIOSA PARA O SPORT NACIONAL. O Club de Regatas Vasco da Gama inaugura amanha o seu majestoso stadium de São Januário" (Correio da Manhã). E então, no dia seguinte, Vasco e Santos vieram a campo e inaugurava-se o Estádio Vasco da Gama, que por ter parte localizada na Rua São Januário, ficou popularmente conhecido como São Januário. Para os mais íntimos, “meu caldeirão”.

São Januário, que hoje (21/04/10) completa 83 anos, extrapola os limites do orgulho de qualquer vascaíno, de qualquer pessoa que admira histórias de superação. O club de regatas Vasco da Gama por ser um time da zona norte, por conter pobres e negros no time, corria o risco de não ser incluído na Liga do futebol carioca e a desculpa era de que não possuía um estádio para jogar. Com arrecadações da torcida, de empresários portugueses, começou a se erguer o então maior estádio de futebol das Américas. Vale ressaltar que o Estádio foi construído em 10 meses e que ainda enfrentou contratempos como, por exemplo, o presidente do Brasil ter proibido a importação do cimento na época.

Antes de falar sobre os jogos de futebol, não posso deixar de citar os Corais do Maestro Vila Lobos, o comício de Getúlio Vargas para anunciar a consolidação das primeiras Leis trabalhistas do País e o desfile das escolas de Samba do Grupo especial do Carnaval do Rio de Janeiro que também aconteceram no estádio de São Januário.





    No dia 30 de Abril de 2002, o Travel Channel, famoso canal de televisão especializado em turismo realizou uma pesquisa que incluiu São Januário entre os sete melhores estádios do planeta para se assistir uma partida de futebol, junto com Camp Nou, Giuseppe Meazza, La Bombonera, Ibrox Sadium, Stamford Bridge e o Estádio Olímpico de Munique. A emissora apontou São Januário como um dos mais famosos do mundo e lembrou o fato de o Vasco ter sido o primeiro clube brasileiro a lutar contra o racismo, admitindo negros no seu quadro de atletas. O estádio ainda se destaca por resguardar traços originais de sua construção e ter sua fachada tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Em 2008, o estádio também ganhou o prêmio de 'Maravilha da Zona Norte', ficando em primeiro lugar numa votação para escolher as sete maravilhas da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

São Januário se tornou temido por adversários, já foi palco de grandes conquistas, de alguns vexames, de jogos marcantes, palco do Milésimo gol de um certo baixinho ai. celeiro de craques, casa de tantos outros, São Januário virou “o caldeirão”.

Hoje, o Clube de regatas Vasco da Gama, mesmo desde seus primórdios, lutando contra tudo e contra todos, vive talvez, a pior realidade de sua gloriosa História, mas sem deixar de trazer orgulho a quem o ama. Eu já nasci Vasco da Gama e pra sempre vou amar. Agora, convenhamos, já que Deus meu deu o dom de torcer para o “maior clube do mundo”, eu não vou ficar perdendo meu tempo sendo realista né?

Hoje e sempre, eu vou torcer pro Vasco ser campeão, SÃO JANUÁRIO, MEU CALDEIRÃO.


Estádio Vasco da Gama (São Januário): 83 anos de orgulho.

domingo, 11 de abril de 2010

Axé Brasil, Axé Minas Gerais. EuVOuLUINDO.


Hoje tem festa,
Oxente, Uai,
Vem com a gente que um mar de gente vai
Axé Brasil, Axé Minas Gerais.


Minas do Clube da esquina
Minas de Belô
Minas das Meninas
Minas de amor.
(...)


Enfim chegou o dia. Belo Horizonte acordou em clima de festa, o estádio Governador Magalhães Pinto, no alto de sua imponência e importância para o futebol mineiro e brasileiro abriu suas portas para mais um grande clássico, só que dessa vez, assim como já vem sendo há alguns anos, as grandes estrelas foram da musica, mais precisamente da música baiana. Em campo, milhares de foliões, se divertindo ao som de um time de craques que fazem qualquer estádio tremer.
 
 
Assim como Mano Goes escreveu e Tuca Fernandes canta na música que virou hino do evento, “veja que felicidade, nos olhos da cidade, Minas hoje é Bahia do nosso Senhor”... E a felicidade nos olhos da cidade realmente é notória e pra entender tamanha felicidade, só conhecendo esse evento mesmo.
 
 
 
 
Em 2009, fui presenteado e pude conhecer, desfrutando de boa companhia, o tão famoso e até então Axé Brasil Extra, pude sorrir junto com a cidade e sentir o coração bater forte ao entrar no Mineirão e curtir duas noites ao som das 13 maiores atrações da Musica Baiana do momento e mesmo não tendo nascido em Minas Gerais gritei “bato no peito com orgulho pra dizer, que eu sou mineiro, micareteiro até Morrer”. Depois disso, eu só tinha uma conclusão para o Axé Extra: “Bão dimais da conta sô”
 
No fim de 2009, como sempre, escutando rádio, ao escutar as primeiras propagandas do Axé Extra 2010, o coração bateu forte, porém, apertado, a vida de universitário, estagiário não me permitiria curtir o Axé 2010, mas dessa vez não fui presenteado por uma bela Mineira e sim pelo destino e isso ocorreu ao abrir o site da minha faculdade e ver escrito “vagas para estágio em diversas áreas do axé 2010”. La fui eu, me candidatei e  “tchamram”...
 Contratado para estagiar na área de comunicação do Axé Extra 2010.
                                                                                                                 Léo Dias - Diretor da DM Promoções



Mais de um mês de trabalho. Momentos ótimos, momentos tensos, contato com pessoas importantes no meio. Atuação muito bem feita na área de criação (me surpreendi comigo mesmo) e hoje talvez a coroação desse trabalho.
                                                                                                      Logo da Parceria UNA e DM - Criação - Thiago Meira


Pois é, chegou o grande dia, quando tudo acontece, e eu pude passar dois dias vendo e participando de todos os bastidores do maior festival de axé do Planeta, em contato direto com a equipe da Radio Extra FM. Conheci cada canto do evento, da sala de imprensa aos camarins, da arquibancada ao mais badalado camarote, dos corredores de produção de palco à cabine de transmissão da rádio.

O modo como fui recebido e tratado por cada componente da equipe foi extraordinário. Por isso não posso deixar de agradecer a cada ensinamento, a cada minuto de atenção que todos me deram, em especial, Kayete e Gil Neves pela receptividade, Claverson e Victoriano pela aula de transmissão e novas tecnologias, Guilherme Grossi pela atenção, pelo carinho com que me recebeu e me atendeu e, Gabriela (ops,) Gabi Mafra, pela atenção, pela paciência e pela companhia. Denise e Paulo da DM promoções também foram fantásticos comigo.


O axé 2010 se foi. Mas deixou muitos ganhos na minha vida acadêmica, profissional e com certeza pessoal, pois o caminho para realizar alguns sonhos nunca estiveram tão claros na minha frente e eu nunca estive tão convicto da minha capacidade.


2009 na pista, como Folião.
2010 nos Bastidores, como estagiário. 
2011...........................???

quarta-feira, 31 de março de 2010

Natividade. Sempre N'atividade.















“ Minha cidade é uma graça.                                    
 no centro tem um jardim.                                    
o jardim fica na praça.                                          
e a praça dentro de mim”.                                                   
 (Iraci do Nascimento)                                        



Nativo de Natividade

Mantendo-se em atividade,

Brigando com a saudade

Da pequenina cidade,

Que, aliás, sempre foi uma graça.


Em Busca de um belo horizonte

Alimentado pela esperança de um amor,

Que foi infinito enquanto durou,

Junto com alguns pertences, nas malas,

Doces lembranças da vida mansa no interior



Dos domingos de tédio

A constatação de um dito, que dou como certo,

“Eu era feliz e não sabia”

Da vida pacata,

A expressão de um clichê

“Nunca estamos totalmente satisfeitos”

Da vida de hoje

A certeza de que

Por mais belo e distante que meu horizonte possa ser.

Comigo estarão as lembranças da terra que me viu nascer,

Da imponente igreja, das festanças no centro, onde fica o jardim,

Dos passeios na praça, que com toda a sua licença Iraci,

Também fica dentro de mim.

                        

quinta-feira, 25 de março de 2010

Belo Horizonte, A terra que hoje me acolhe.

Momento Publicidade no blog.

Trabalho de leitura e produção de texto passado pelo professor João Guilherme Dias (sou fã desse cara). O objetivo era criar Paródias e paráfrases de um poema, de uma música e de uma campanha publicitaria. A parte que me coube no grupo, foi a da campanha.
Esse texto é uma paráfrase da campanha do Shoping Rio Sul, adaptada para a Cidade de Belo Horizonte.

Para os Mineiros, Belo Horizontinos, espero que eu tenha conseguido demonstrar as qualidades de Belo Horizonte de forma correta. Para os não mineiros, que não conhecem a cidade, assista o vídeo e venha visitar Belo Horizonte. Belo até no nome.